ONTEM NO GUARUJÁ CHOVEU GRANITO! FOI UMA LOUCURA!

Loucura é dizer asneira! Muito mais loucura do que suportar, sem guarda-chuva, uma chuva de granizo. Sorte a nossa quando Deus, entre a chuva de granito e a de granizo, escolha a segunda (granizo).

No Guarujá não acontece nada, já que esse nome não admite o emprego do artigo. Por isso, prefira ir a Guarujá, estar em Guarujá, voltar de Guarujá, etc. E não: Ir ao Guarujá, estar no Guarujá, voltar do Guarujá, ainda que todo o mundo o faça.

HÁ DOIS ANOS ATRÁS CHOVEU GRANIZO EM GUARUJÁ. ACERTEI AGORA!

Continua chovendo asneira: o “há” não precisa do “atrás” porque, por si só, ele já faz as vezes do “atrás”. “Há” já indica passado. Por isso, use um ou outro: Há dois anos choveu granizo em Guarujá (ou: Dois anos atrás choveu granizo em Guarujá); Isso aconteceu há muitos anos! (ou: Isso aconteceu muitos anos atrás); Há sete anos me aconteceu uma boa! (ou: Sete anos atrás me aconteceu uma boa!).

Por falar em aconteceu uma boa, veja que ótima, numa publicidade do Banco Itaú, na revista Veja: Há dez anos atrás todo o dinheiro era de papel. Não se contendo com a redundância, os banqueiros cometerem outro equívoco, usando “todo o mundo” em vez de “todo…” apenas. Isto é: Os banqueiros conseguiram cometer, numa pequena frase, dois enormes equívocos! A razão? O respeito?

BIGODE SE RAPA OU RASPA?

Bigode se rapa, assim como barba, axila e pelos em geral. O que se raspa é taco, parede, porta, janela e, agora, até bilhete de loteria. Se o caro leitor estiver achando que tudo isso é brincadeira, ofereço-lhe as palavras de Deus a Moisés: “Os sacerdotes não rapam as cabeças, nem as barras, e não farão golpes no corpo”. Alguma objeção, caro leitor?…

POSSO PEDIR O MAIS ABSOLUTO SILÊNCIO?

Não, porque aí há redundância. Em “absoluto” já existe a ideia já existe de “maior” e “mais”. Por isso, prefira pedir “absoluto silêncio”, que o silêncio se fará.

Eis outras expressões redundantes, que, portanto, devem ser evitadas: emulsão de óleo; novidade inédita; vereador municipal; vereador do município; plebiscito popular; erário público; estrear novo uniforme; lançar novo CD; novo lançamento; manter o mesmo time; encarar de frente; elo de ligação; enfrentar de frente; adega de bebidas; amanhecer o dia; vomitar pela boca; etc. Tudo isso é coisa de demente mental. Gostou do demente mental?…

APROXIMADAMENTE

1) Aproximadamente indica arredondamento: Aproximadamente cinco pessoas; Aproximadamente vinte crianças. Assim, nunca escreva: Aproximadamente duzentas e trinta e cinco pessoas; Aproximadamente cento e vinte e três crianças.

2) A concordância é expressa pelo numeral ou equivalente: Perdeu-se aproximadamente uma tonelada de cereais; Aproximadamente vinte carros se chocaram.

(*) Professor Antônio da Costa é graduado em Letras Plenas, com Especialização em Língua Portuguesa e Literatura, na Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). É, também, servidor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Sobral. Escreve esta Coluna toda terça-feira. Contatos: (088) 9409-9922 e (088) 9762-2542.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: