PROPINA (ETIMOLOGIA)

Propina – S.f. do Latim “propinare” – dar, beber, brindar, pagar. O termo latino procede do verbo grego que significa “antes” + outro que significa “beber, brindar, convidar para beber”. (Veja como a palavra primitiva mudou de significado).

Os romanos tinham o costume de fazer um brinde com a frase “propino tibi salutem” = Saúdo-te antes de beber. O termo latino é rico em palavras correlatas: propinatio (convocação para beber), propinator (provocador para beber), propinatorius (o que dá algo para beber, e tem o feminino propinatrix = a que dá algo para beber).

O verbo propinar já nasceu em Português com vários sentidos correlatos. No Português arcaico, de Portugal, o termo tinha o significado de custo mensal, mensalidade ou taxa. Um relato antigo diz que os estudantes de Coimbra, para receberem o diploma de Doutorado, pagavam a propina de 1.600 réis. Na verdade, era a taxa de custo do diploma. Passando em Lisboa, em março de 2013, vi uma manchete no Diário de Lisboa: “Estudantes fazem passeata contra o aumento da propina!”

Ao ler a matéria vi que eles protestavam contra o aumento da mensalidade do curso na Universidade. Hoje, a maioria das vezes que o nome “propina” aparece é com o sentido de “pagamento de um dinheiro extra a alguém para ter a facilitação em algo a que você já tem direito”. Espanhol, propina; Inglês, drink money; Francês, pourboire; Italiano, mancia; Alemão, trinkgeld (Do livro “Palavras que mudaram de significado” – Frei Hermínio Bezerra de Oliveira).

CONTAR (REGÊNCIA VERBAL)

O verbo contar apresenta as seguintes regências: 1) Contar (transitivo indireto) – ter de existência ou de idade: Mary conta quinze anos de idade; 2) Contar (trans. direto) – ter, possuir: A Alemanha contava um exército poderoso (não se usa “contar com”); 3) Contar com (trans. Indireto) – ter como certo: Conto com você aqui amanhã; 4) Contar de (trans. direto) – narrar, dizer: Ainda não lhes contei do roubo que houve ontem à noite? (do roubo é adjunto adverbial de assunto, e não objeto direto ou indireto).

 

DEPARAR (REGÊNCIA VERBAL)

Deparar (trans. direto) – encontrar, topar: Deparar alguém na rua. Deparar com (trans. Indireto) – encontrar, topar: Deparar com alguém na rua (esta regência é aconselhável, porém, somente quando o complemento é pessoa; quando coisa, melhor é usar o verbo como transitivo direto). Saliente-se, todavia, que a construção clássica deste verbo é: Deparou se alguém na rua.

 

PROLETÁRIO

O termo vem do Latim “proletarius”. Entre os romanos antigos, era o cidadão pobre integrante da última classe do povo, considerado muito útil ao Estado pela grande prole (= filhos) fornecida, não pagava imposto ao erário. Não acrescente “público” para não cometer pleonasmo.

 

(*) Professor Antônio da Costa é graduado em Letras Plenas, com Especialização em Língua Portuguesa e Literatura, na Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). É, também, servidor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Sobral. Escreve esta Coluna toda terça-feira. Contatos: (088) 9409-9922 e (088) 9762-2542.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: