As dores e as alegrias de ser mãe

Mulheres contam suas histórias de maternidade e exaltam a felicidade e os desafios de ter e criar os filhos

Mãe de cinco filhos e avó de seis crianças, a professora aposentada Rita Maria Menezes Costa, 68, pode de fato testemunhar com sua vida as dores e as alegrias do amor. “Sou muito feliz porque tive a oportunidade e o dom de ser mãe. Esta é a minha realização”, garante. Para conseguir criar todos com firmeza e alegria, Rita ensina o segredo. “Com muita paciência e com a graça de Deus conseguia equilibrar tudo. Não é fácil, é renúncia e se dedicar. Mãe é aquela que cuida, zela, protege e acompanha”, completa.

Aroldo Filho (43 anos), Leandro (40), João Paulo (36), Francisco de Assis (33), Rita Irene (30) são os filhos de Dona Rita com o esposo Aroldo. Os netos são Artur e Levi, ambos de 3 anos, Lia (5), Lara (7), além de Ian e Letícia com 12 anos.

Dona Rita garante que é tão prazeroso ser mãe que questiona aquelas que dizem não amar a maternidade. “Eu questiono quando uma mulher diz que não quer ter filho porque não tem tempo. Na verdade, ela tem medo de enfrentar uma situação, acha que não vai dar conta. Meu conselho é que com fé em Deus a gente enfrenta tudo mesmo”, aconselha.

O mais importante é ensinar o amor às crianças, ensina a mãe de muitos filhos. “É preciso viver o amor e mostrar à criança que ela tem que amar, o respeito É preciso ensinar os valores da vida, a fé, a vida no que se refere às coisas de Deus É muito importante criar a criança dentro da cristantante”, garante. Ela conta que passou por várias dificuldades, entre as quais financeiras, mas sempre conversou com os filhos para explicar o que estava acontecendo. “A minha criação sempre foi muito conversada, sempre foram criados dessa forma. Quando existe o diálogo entre mãe e filho, não há arrogância e nem revolta dos filhos porque tudo é dialogado”.

Planejamento

Marília Brito, 39, socióloga e professora e Rhianna, 3

Desde jovem, a socióloga e professora Marília Brito Gomes, 39, sonhava ser mãe. Ela acabou casando um pouco mais tarde e agora é mãe de Rhianna, 3. A menina foi muito planejada e será sua única filha. “Eu me sinto muito realizada. É maravilhoso e único ser mãe. É um amor incondicional. Eu descobri o amor verdadeiro”, garante. Ela conta que parou de trabalhar para cuidar dela. “Então, brincamos juntas, eu ensino a tarefinha”, destaca.

Mãe de gerações

Zélia Nogueira, 63, cantora lírica, e Pérola Paz, 3

Mãe de um filho, Zélia Nogueira, 63, já experimenta a alegria de ser avó de netos de várias idades: 20, 17 e agora a pequena Pérola Paz, 3. “A maternidade é o ciclo da vida. Nasci para ser mãe e avó. Estar com as crianças é gratificante porque a gente se torna criança novamente”, diz ao ir buscar a neta no colégio. Ela garante que a maternidade traz mais alegrias que desafios. “A maternidade não inspira medo. A dor do parto é a mais feliz de todas”, garante.

%d blogueiros gostam disto: