Diocese de Sobral implantará o diaconado permanente

Processo de preparação durará cerca de três anos e, formações serão quinzenais

Por Pe. Eufrázio da Silva Filho
A diocese de Sobral iniciou no dia 9 de março do ano em curso o processo da caminhada vocacional para o diaconado permanente. É um grupo formado de homens casados que se preparam para assumir na Igreja uma vocação que existe desde os primórdios do Cristianismo. De fato, o diaconado permanente não é algo novo na Igreja. Vemos nos Atos dos Apóstolos sete homens que cheios do Espírito Santo foram escolhidos para exercer essa vocação tão sublime.
A Igreja do Brasil ver com bons olhos o retorno dessa vocação sobretudo para o bem das nossas comunidades. Com efeito, o diácono é o homem do serviço à caridade, da assistência aos pobres e também por ser um ‘Ministro’ ordenado, pode ministrar o sacramento do batismo e assistir matrimônio. A expressão diácono permanente se dá pelo fato de ser um homem casado não pode ser ordenado sacerdote enquanto a esposa estiver viva.
Na diocese de Sobral existe uma comissão que está acompanhando o processo vocacional dos candidatos ao diaconado permanente. Pedimos orações por todos os candidatos para que façam uma frutífera caminhada e que um dia possam está exercendo a diaconia no espírito de amor, zelo e dedicação à Santa Igreja através da Liturgia, da Palavra e da caridade (LG 29): Comissão para o diaconado permanente.
Sonho
Cândido Parente Aguiar, desde criança tinha o sonho de ser padre. Hoje, tem 45 anos e há 18 anos é casado com Daniele Vasconcelos Aguiar. A união gerou cinco filhos: Cândido filho, 18, Letícia, 14, Emanuel, 7, Mariane, 5, e Gabriele, 4. “Minha família está muito feliz”, garante ele ao se alegrar com o “sim” dado ao convite feito por Pe. Lucione Queiroz, pároco da Catedral da Sé de Sobral, para participar da formação de diácono permanente.
Ele e a esposa são membros consagrados da comunidade católica Rainha da Paz, os filhos são engajados em grupos religiosos. O processo de formação, no qual iniciou no sábado (9) terá duração de três anos: “Será um ano de vocacionado, e mais dois anos na escola diaconal, no período formativo. No vocacional, as reuniões serão um sábado por mês meio, e a partir do ano que vem se prolongará em dois sábados ou um final de semana”, ressalta o futuro diácono permanente.
Cândido diz o diaconato significar serviço: “Estou inserido na Paróquia da Sé como ministro da Eucaristia, no qual coordeno esse ministério, faço catequese para adultos e, o diaconato é um serviço, como disse Dom Vasconcelos: ‘O diaconato é as mãos estendidas do bispo; onde o bispo não pode ir, o diácono vai, estar sempre à serviço do povo de Deus. O diácono não pode fazer a transubstanciação (consagração eucarística), nem realizar os sacramentos da penitência (confissão e unção dos enfermos)”, enfatiza ele dizendo transbordar de felicidade e gratidão a Deus pelo sonho de servir a Igreja de forma intensa.

%d blogueiros gostam disto: