Musical Streetlight debate a esperança que vence a violência

Espetáculo integra o Projeto “Toda Vida tem Esperança” da Fazenda da Esperança. Banda italiana Gen Rosso organizou espetáculo com a presença de 250 jovens em recuperação da dependência química nas Fazendas do Nordeste

Teresa Fernandes

Jornalista

Correio da Semana

O jovem afro-americano Charles Moats vive o dilema entre enfrentar um conflito junto à gangue do morro onde mora em Chicago e realizar seu grande sonho de fazer parte da Banda Street Light. A história, baseada em fatos reais e ambientada em 1969, é contada no Musical Streetlight da banda italiana Gen Rosso, do movimento Focolares. O espetáculo integra o Projeto “Toda Vida tem Esperança”, encabeçado pela Fazenda da Esperança, que por meio de música e dança, ressalta que a esperança vence a violência. Sobral, última cidade por onde Streetlight passou durante a temporada no Brasil, reuniu um público médio de 3 mil pessoas nas duas apresentações na sexta-feira, 10, e no sábado, 11.

O musical contou com a presença de mais de 1,5 mil jovens em recuperação da dependência química na Fazenda da Esperança nos lugares por onde passou no Brasil. A turnê no Brasil esteve em Joinville (SC), Aparecida (SP), Vitória (ES), Maceió (AL), Belém (PA) e Sobral (CE). Em Sobral, os participantes foram 250 jovens das Fazendas do Ceará, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte. Desde o início da semana, 250 jovens de 12 fazendas dos estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Ceará se prepararam no Centro de Treinamento de Sobral (Cetreso) para encenarem o espetáculo, por meio de momentos de espiritualidade, formações e oficinas diversas, que abrangeram desde a preparação cenográfica do palco do show até as cenas do espetáculo, com oficinas de canto, instrumental, hip hop combination, festão, entre outras.

Para o bispo diocesano Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos, o espetáculo de fato transmite a esperança. “É um espetáculo maravilhoso que nos toca, transmite vida e nos faz refletir que toda vida tem esperança. Como bispo da Diocese de Sobral, eu me sinto orgulhoso porque na nossa Diocese nós temos esperança, temos Fazenda da Esperança.” Lucilene Rosendo, uma das fundadoras da Fazenda da Esperança, explicou que o pedido de ajuda do primeiro jovem que impulsionou a fundação da instituição ecoa ainda hoje. “Hoje com a realização deste show a Fazenda está vendo tantas mães não mais chorar de tristeza por verem os filhos nas drogas, mas chorar de alegria. Acreditamos que toda vida tem esperança”, ressalta.

“Toda Vida tem Esperança é o título geral de todo esse espetáculo que tem sido feito em parceria com a Fazenda da Esperança para apresentar o musical Streetlight do Gen Rosso. Esse projeto nasceu nas Filipinas quando se entendeu que a política estava criticando e matando as pessoas ligadas à condição de drogadição”, explicou o coordenador do Gen Rosso, Valério Gentili.

A alegria e a sensação de realização dos jovens da Fazenda participantes do projeto era visível. “É a minha primeira experiência em um espetáculo teatral”, destaca animado Thiago Vinícius, 17, há seis meses na Fazenda da Esperança de Garanhuns (PE). “Para mim, a realidade era usar drogas, mas agora vejo que é possível viver diferente, viver o amor ao próximo”, garante.

Gen Rosso

A Banda Italiana existe há mais de 50 anos. Atualmente, conta com 18 componentes de 4 continentes dos países Jordânia, Filipinas, República do Congo, Brasil, Espanha, Argentina, Itália e Suíça.

Valério Gentili lembrou que o projeto “Toda Vida tem Esperança” foi idealizado pelo fundador da Fazenda da Esperança, Frei Hans Stapel, e pelo cofundador da instituição, Nelson Giovanelli Rosendo dos Santos, lembrando que toda vida tem esperança. O Gen Rosso foi chamado para sustentar o projeto com o espetáculo Streetlight. “Já passamos por uma turnê aqui no Brasil em 2013 com a Fazenda e o projeto se chamava ‘Forte sem Violência’, depois em 2015”. Além de que as pessoas conheçam o trabalho da Fazenda da Esperança, o objetivo do projeto é que a sociedade reflita sobre ideais e valores fortes.

Com a conclusão do projeto no Brasil, o Gen Rosso parte agora para Portugal, onde fará um trabalho com estudantes universitários em Braga, Viseu e Fátima. Depois, retornam à Itália e na metade de dezembro, seguirão com o projeto “Forte sem violência” em Milão com outro musical. “A novidade deste projeto é que não é para os jovens, mas com os jovens, por todos os jovens e não-jovens da cidade. É um projeto social e político que muda o relacionamento das pessoas”, explica.

 

Legenda da foto: Sobral, última cidade por onde Streetlight passou durante a temporada no Brasil, reuniu um público médio de 3 mil pessoas

Chamada de capa: Musical> Streetlight debate a esperança que vence a violência

Crédito da foto: Marcildo Brito

%d blogueiros gostam disto: