CELEBRANDO AS BODAS DE CRISTAL: 15 ANOS DE SACERDÓCIO

Ao celebrar os 15 anos de ordenação sacerdotal, o Padre MARCOS ANTONIO RIBEIRO DA SILVA recebe na Matriz de Senhora Sant’Ana, em Mucambo-CE, toda a comunidade paroquial com todas as pastorais e movimentos religiosos, com participação dos fieis vindos das paróquias de Forquilha, Reriutaba, Acaraú e de Sobral, numa emocionante Celebração Eucarística concelebrada com os Padres: Pe. Jesuino, da vizinha Paróquia de Pacujá e o Pe.  Antonio Claudio Pereira de Oliveira, da Paróquia de Beberibe-CE, cujas palavras na homilia lembrou a trajetória vocacional de Padre Ribeiro, desde a sua entrada nos Sacramentinos até a sua presença atuante como pároco de Mucambo-CE. “Há um grande desafio quando devemos testemunhar a nossa fé: não é fácil renunciar a própria vida, deixar tudo e seguir Jesus Cristo. Se você aspira as coisas do alto será um cristão autêntico e terá construído a sua casa sobre a rocha firme”, disse Pe. Cláudio na homilia e, acrescentou: “o sacerdote deve ser amado, deve ser cuidado”!

“EIS-ME AQUI, ENVIAI-ME” Is. 6,8.

Quem é Padre Marcos Antonio Ribeiro da Silva?   Nasceu em Maracanau – CE, aos 15 de outubro de 1972. Filho de Paulo Ribeiro da Silva e Raimunda Gonzaga da Silva. Tendo concluído o ensino fundamental na cidade de origem, no Instituto São José e, estando desde cedo se dedicou aos serviços paroquiais, entrou na Vida Religiosa dos Padres Sacramentinos, em Fortaleza – CE, onde fez o curso de Filosofia (ITEP). Buscando uma nova experiência, como seminarista diocesano, cursou a Teologia no Instituto Teológico de Pastoral do Ceará, passando a residir no Seminário Regional NE I, pela Diocese de Sobral (1999). Ordenado Diácono no dia 10 de julho de 2002 na Catedral de Sobral, das mãos de Dom Plínio José Luz, bispo auxiliar de Fortaleza. Fez a sua primeira experiência Diaconal na Paróquia de Fátima (junho a dezembro de 2002), Sobral e na Paróquia de Nossa Senhora da Piedade (de dezembro de 2002 até a ordenação), em Coreaú – CE. Recebeu a ordenação presbiteral em 28 de junho de 2003, na Catedral  de Nossa Senhora da Conceição em Sobral-CE, das mãos de dom Aldo de Cillo Pagotto, bispo diocesano. Celebrou a sua primeira missa na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em sobral-CE, aos 28 de junho de 2003. Sua trajetória como pároco nesses 15 anos de sacerdócio, fez dele uma pessoa muito querida em todas as cidades que passou:  Forquilha, onde deu os seus primeiros passos como pároco, ficando ali oito anos de profícuo e intenso trabalho de evangelização. Assumiu Reriutaba por cinco anos, também deixando sua marca de humildade e pastoreio.

Assim, depois de quinze anos de sacerdócio observamos  os sinais que Padre Marcos Ribeiro passou  deixando a sua marca de ser humano e sacerdote, um alter Cristo. E na Paróquia de Mucambo já percebemos o cuidado e zelo missionário, por isso nos  sentimos felizes com a sua presença no meio de nós. Acreditamos nas palavras da Santa Escritura: “O Senhor disse: “Farei surgir um sacerdote fiel, que agirá segundo o meu coração e a minha vontade, diz o Senhor” (1Sm 2,35).

 

“O CORAÇÃO DO BOM PASTOR E O NOSSO CORAÇÃO DE PASTORES”

Na celebração do Jubileu dos Sacerdotes na Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, em 3 de junho de 2016, na Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, o Papa Francisco exorta: “Somos chamados a concentrar-nos no coração, ou seja, na interioridade, nas raízes mais robustas da vida, no núcleo dos afetos, numa palavra, no centro da pessoa. E hoje fixamos o olhar em dois corações: o Coração do Bom Pastor e o nosso coração de pastores.”

O Papa Francisco encoraja os sacerdotes a terem um coração que se assemelha ao Coração de Jesus: “Os tesouros insubstituíveis do Coração de Jesus são dois: o Pai e nós. As suas jornadas transcorriam entre a oração ao Pai e o encontro com as pessoas. Não distanciamento, mas o encontro. Também o coração do pastor de Cristo só conhece duas direções: o Senhor e as pessoas. O coração do sacerdote é um coração trespassado pelo amor do Senhor; por isso já não olha para si mesmo – não deveria olhar para si mesmo –, mas está fixo em Deus e nos irmãos. Já não é «um coração dançarino», que se deixa atrair pela sugestão do momento ou que corre daqui para ali à procura de consensos e pequenas satisfações; ao contrário, é um coração firme no Senhor, conquistado pelo Espírito Santo, aberto e disponível aos irmãos. E nisso têm solução os seus pecados”.

SENHOR, CONCEDEI-NOS SACERDOTES SANTOS!

Por isso, ao celebrarmos a vida sacerdotal de Padre Marcos Ribeiro, também queremos pedir ao Sagrado Coração de Jesus que continue nos enviando sacerdotes segundo o coração de Deus, para: aumentar a nossa fé; sustentar a nossa igreja; para pregar a santa doutrina; para defender a causa do reino; para sustentar a Verdade;  para dirigir nossas almas; para ensinar as riquezas do Coração de Jesus; para que todos os ministros sejam sal da terra e luz do mundo: concedei-nos sacerdotes muito santos!

Ir. Carminda Amélia Carvalho Alves, mrcj

Licenciada em Letras, Especialista em Neuropsicologia e estudante de Psicologia da FLF

%d blogueiros gostam disto: