Pe. Manoel Valdery da Rocha, um pouco da sua história

O mês de dezembro, além das festividades do nascimento do Menino Jesus e de seu projeto salvífico, para a Paróquia de Cruz há duas razões peculiares para se fazer memória: o nascimento de Padre Valdery da Rocha e a sua ordenação sacerdotal, liga dois eventos que os paroquianos e amigos não podem jamais esquecer – 6 de dezembro e 31 de dezembro. Neste ano, e está há poucos dias, Padre Valdery completa 80 anos de nascimento e para festejar este prodígio ele lança mais um livro, que faz jus ao articulista deste conceituado Jornal Correio da Semana, reuniu oitenta artigos escritos ao longo dos anos neste periódico, cujo título já nos coloca em contato com seu hábil manejo de escritor: 80 EM DIAS COM A IGREJA. Será apresentado ao público no dia 29 de dezembro de 2018, na Quadra da Escola Fundamental São Francisco, em Cruz. Ir. Carminda Amélia Carvalho Alves, mrcj

Filho de João Lourival da Rocha e de Maria Edite Soares, nasceu aos 31 dias do mês de dezembro de 1938, na cidade de Morrinhos – CE. Tem sete irmãos: Terezinha, Valdemir, Irajá, Paulo, Alba, Irene, José de Fátima e Adalberto. Batizou-se aos 10 de janeiro de 1939, pelo Pe. Araken da Frota, 11:1 capela Coração de Maria, em Morrinhos. Seus padrinhos foram: N. Sra. do Pérpetuo Socorro e Melchior Tomaz. 
De família religiosa, desde cedo, demonstrou sua vocação, para o sacerdócio. Após ter iniciado seus primeiros estudos nas Escolas Reunidas de Morrinhos, ingressou no Seminário Diocesano S. José, em Sobral (Betânia), concluindo ali os estudos correspondentes ao Ginásio e Científico, entre 1951 a 1957. 
Estudos superiores: no Seminário da Prainha, em Fortaleza – Filosofia (3 anos) e Teologia (4 anos), de 1958 a 1964. Validação da Filosofia, pela Faculdade de Filosofia da Universidade Federal do Piauí, em 1970. Especialização em Metodologia de ensino superior pela Universidade Federal do Ceará. Quanto à vocação ao sacerdócio: quando criança, recebeu estímulo pela atividade pastoral do seminarista conterrâneo, José Ataíde de Vasconcelos, já falecido, quando era pároco de Reriutaba da Diocese de Sobral. No dia 6 de dezembro de 1964, lhe foi conferida a Ordenação sacerdotal, na centenária Igreja da Prainha, Fortaleza. Foi ordenante, Dom Raimundo de Castro e Silva, Bispo Auxiliar de Fortaleza, por designação do Bispo Diocesano de Sobral, Dom João José da Mota e Albuquerque, então em Roma, no Concílio Vaticano 11. Primeira Missa em Morrinhos, no dia 20 de dezembro com grande participação e alegria da comunidade. 
Estudos superiores: no Seminário da Prainha, em Fortaleza – Filosofia (3 anos) e Teologia (4 anos), de 1958 a 1964. Validação da Filosofia, pela Faculdade de Filosofia da Universidade Federal do Piauí, em 1970. Especialização em Metodologia de ensino superior pela Universidade Federal do Ceará. Quanto à vocação ao sacerdócio: quando criança, recebeu estímulo pela atividade pastoral do seminarista conterrâneo, José Ataíde de Vasconcelos, já falecido, quando era pároco de Reriutaba da Diocese de Sobral. No dia 6 de dezembro de 1964, lhe foi conferida a Ordenação sacerdotal, na centenária Igreja da Prainha, Fortaleza. Foi ordenante, Dom Raimundo de Castro e Silva, Bispo Auxiliar de Fortaleza, por designação do Bispo Diocesano de Sobral, Dom João José da Mota e Albuquerque, então em Roma, no Concílio Vaticano 11. Primeira Missa em Morrinhos, no dia 20 de dezembro com grande participação e alegria da comunidade. 
Atividades Pastorais, Educacionais e Patrimoniais: Coadjutor da Paróquia de N. Sra. da Conceição de Acaraú, foi nomeado Vigário de S. Francisco da Cruz, tomando posse a 12 de setembro de 1965, onde permanece até hoje. Aqui mesmo residindo parte do tempo em Sobral, como professor da UVA, vem conseguindo realizar um fecundo apostolato. Além dos trabalhos normais à Matriz, às Capelas e Comunidades da Paróquia, atendimento às Paróquias vizinhas do Zonal Vale de Acaraú, seu paroquiato foi marcado pelas seguintes realizações: construção das Capelas de Monteiros, Castelhano, Carrapateiros, Imbé, Belém, Barrinha, Lagoa Sagrada, Lagoa da Volta, Lagoa de baixo, as quatros últimas ainda em construção; criação e instalação da Paróquia de Santa Luzia de Gijoca; edificação do Centro Pastoral de Cruz (CEPAC); construção e instalação da Casa das Irmãs, em Cruz; instalação da Área Pastoral de Aranaú e construção do Centro Pastoral de Aranaú; construção das Salas de Coordenação da Catequese, em Cruz; construção de Prédios Comunitários em 15 capelas; reforma dos cemitérios paroquiais na sede e em 7 capelas; construção das Casas Paroquiais de Cruz em 3 capelas; reforma da igreja matriz de Cruz, de Gijoca e capela de Prata. Também preocupou-se com os problemas sócio-econômicos e políticos locais. Funda a Escola Fundamental São Francisco (1972) com 10 e 20 graus, hoje dirigida pelas Irmãs Missionárias Reparadoras do Coração de Jesus. Debateu-se pela emancipação do Distrito, que se transformou em Município de Cruz (1983), do qual é hoje cidadão honorário. Foi o fundador da Rádio Comunitária, 6 de abril. 
Estudos Superiores: Licenciado em Letras, em 1971, pela Faculdade de Filosofia Dom José, em Sobral; Graduado em Filosofia Pura pela Universidade Federal do Piauí; Pós-Graduação em Metodologia de Ensino Superior, pela Universidade Federal do Ceará. Diretor da Escola 111ll1damental S. Francisco, de Cruz; do Museu Diocesano de Sobral; do Ginásio de Aplicação (Faculdade de Filosofia Dom José); do Instituto Dr. Tomaz de Paula. Professor do Colégio Estadual Dom José; da Faculdade de Educação de Sobra!. Membro do Conselho de Consultores da Diocese, em 1983; do Conselho de Assuntos Econômicos da Diocese como Secretário, desde 1984. Diretor do Instituto de Teologia e Pastoral (ISTEP), 1985-1987; Diretor da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), de 1984 a 1986. Vice Reitor da Universidade Estadual Vale do Acaraú, 1986 – 1990. Presidente do Conselho Nacional do Clero(CNC), órgão da CNBB, de 1996-1999. Deixa-nos o seu pensamento: “Jesus Cristo: resposta de Deus ao Homem que sempre quis vê-lo já aqui na terra. Igreja: uma criação divina da presença da missão de Jesus no meio de nós. Sacerdócio: dom de Deus à sua Igreja e grande responsabilidade para quem o assume”.
Fonte: Ungidos do Senhor na Evangelização do Ceará – Pe. Aureliano Silveira 

%d blogueiros gostam disto: