Dom Vasconcelos convida fiéis a participarem do Grito dos Excluídos

Evento será realizado no sábado, 8 de setembro, com programação a partir das 17h no patamar da Catedral de Nossa Senhora da Conceição (Sé). Santa missa será presidida por Dom Vasconcelos às 19h30

“O Deus da vida, Deus único, Deus vivo, criador do céu e da terra. Esse Deus que criou os céus e a terra, as coisas visíveis e invisíveis, é um Deus que escuta o clamor do seu povo e é por isso que nós gritamos e no dia 8 de setembro na Diocese de Sobral vamos realizar o 24º Grito dos Excluídos”. O convite do bispo diocesano Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos em vídeo é para que os fiéis de toda a Diocese de Sobral possam participar da 24º edição do Grito dos Excluídos no sábado, 8, a partir das 17h.
A programação de 2018 acontecerá na praça da Catedral de Nossa Senhora da Conceição (Sé) no sábado, 8 de setembro, a partir das 17h com recepção das caravanas e show com Valdenísio. A partir das 18h haverá apresentações dos grupos da 5ª urgência da Diocese de Sobral (Igreja a serviço da vida plena para todos), trazendo situações de morte e ações de vida em sua realidade. O ápice do Grito será a santa missa presidida por Dom Vasconcelos às 19h30. A programação será encerrada com o Show da Banda Emanuel às 21h.
Dom Vasconcelos lembra ainda que o Grito expressa o clamor do povo. “Há 24 anos, é realizado no Brasil o Grito que expressa o clamor do povo, um grito profético de clamor dos excluídos e excluídas da sociedade. Nós nos unimos aos pobres, aos marginalizados para darmos voz a quem não tem voz, vez a quem não tem vez e você é convidado. Venha participar conosco do 24º Grito dos Excluídos”, convida.
O evento pretende levar todos a gritarem junto àqueles que sofrem, que padecem. “Particularmente neste ano nós queremos centrar nossa atenção na desigualdade que gera violência. É grande a violência entre nós. São mulheres, jovens e homossexuais, idosos, pessoas assassinadas. Não podemos também nos esquecer dos nascituros, daqueles que ainda não nasceram, mas já são pessoas. Violência gera violência. A vida em primeiro lugar. Este é o nosso grito: A vida em primeiro lugar”, completa Dom Vasconcelos.

Vida em primeiro lugar
Trazendo um apelo a lutar pela vida em primeiro lugar, o Grito dos Excluídos deste ano traz como lema “Desigualdade gera violência: basta de privilégios.” O Grito dos Excluídos é uma manifestação popular carregada de simbolismo, como um espaço de animação e profecia, sempre aberto e plural de pessoas, grupos, entidades, Igrejas e movimentos sociais comprometidos com as causas dos excluídos. “O Grito é apartidário. Trazemos sempre a discussão da vida e dos direitos em primeiro lugar”, ressalta Irmã Rozilda Cordeiro, coordenadora das pastorais sociais da Diocese de Sobral e do Grito dos Excluídos.
É preciso avançar para que os excluídos tenham voz na nossa sociedade, de acordo com Irmã Rozilda. “O desafio é que os excluídos não têm voz. Alguém sempre fala por eles”, ressalta. Organismos da Diocese como a Cáritas também promovem gritos internos como a Festa da Colheita, na qual os próprios produtores rurais podem se expressar. Dentro da quinta urgência, outro organismo é a Pastoral da Criança.
Entre as pastorais sociais, há a dos idosos, da Aids, dos Surdos, da Pessoa de Rua e Pastoral Carcerária, Pastoral da Sobriedade e da Saúde. Entre as ações de promoção humana há a atuação de instituições como o Centro de Promoção Humana Padre Ibiapina (Ceprohi) no Sumaré, que possui ações como o Musicalizar e o João de Barro Há ainda a Fazenda da Esperança, Abrigo Sagrado Coração de Jesus, Comunidade Rainha da Paz, Comunidade Shalom, Comunidade Coração de Maria, Comunidade Mãe da Divina Providência, Comunidade Maranathá, Grupo Esperança Viva (GEV), Sociedade São Vicente de Paula, Legião de Maria, Toca de Assis, dentre outros movimentos.

Grito dos Excluídos
Quando: 8 de setembro a partir das 17h
Onde: Patamar da Catedral de Nossa Senhora da Conceição (Sé)

%d blogueiros gostam disto: