Dom Orani: Cardeal do Brasil

A primeira Diocese do Brasil teve sede em São Salvador da Bahia, instituída pelo Papa Júlio III, a 25 de fevereiro de 1551, e sua área foi desmembrada da Arquidiocese do Funchal, hoje pertencente ao Patriarcado de Lisboa. Em 19 de julho de 1575, o Papa Gregório XIII criou a Prelazia de São Sebastião do Rio de Janeiro, sob a administração do então Bispado de São Salvador da Bahia. Pouco mais de um ano depois, em 16 de novembro de 1676, o Papa Inocêncio XI elevou a Prelazia de São Sebastião do Rio à categoria de Diocese, com a bula Romani Pontificis pastoralis sollicitudo. Nesta mesma data, pela bula Inter Pastoralis Officii Curas, elevou Salvador a arquidiocese. Por ser a Diocese mais antiga do Brasil, Salvador é a Arquidiocese Primaz do Brasil.
A Arquidiocese de São Sebastião do Rio foi criada por meio da bula Ad universas orbis Ecclesias, de 27 de abril de 1892, pelo Papa Leão XIII. No Consistório realizado no dia 11 de dezembro de 1905, o Papa São Pio X criou o primeiro Cardeal do Brasil e de toda a América Latina, Dom Joaquim Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti, então Arcebispo do Rio. O Rio de Janeiro então era a Capital do Brasil, desde os tempos do Império. Há um ditado que diz, “quem foi rei nunca perde a majestade”. Em paráfrase, podemos dizer que o Rio de Janeiro não perdeu sua posição de capital. É no Rio que estão sediadas as principais entidades nacionais de cunho cultural como a Academia Brasileira de Letras, o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, para citar algumas.
Destaca-se, com muita justiça, o papel da Arquidiocese que primeiro recebeu o título de Arcebispado possui para nossa Igreja Católica no Brasil. Ao longo do tempo, foram seis os cardeais que a geriram antes do atual Cardeal-Arcebispo, Dom Orani João Tempesta. Lembramos que o segundo Cardeal do Rio, Dom Sebastião Leme da Silveira Cintra, fundador da primeira Universidade Católica do Brasil, em 1941, depois transformada em Pontifícia Universidade Católica, a PUC do Rio de Janeiro, foi figura importantíssima em momento de crise gerada pela Revolução de 1930, quando, nos últimos dias dessa Revolução, convenceu o presidente Washington Luís Pereira de Sousa, deposto na ocasião, a entregar o poder aos revoltosos visando salvaguardar a vida do presidente, evitando maiores transtornos ao povo de sua Arquidiocese e, consequentemente, a todo o Brasil.
Em anos eleitorais, sejam eleições municipais, estaduais ou federais, é muito comum os candidatos marcarem visita ao Cardeal Arcebispo do Rio. Na eleição que se encerra neste domingo, 28/10, além dos candidatos a Governador do Rio de Janeiro, os candidatos a Presidente do Brasil, solicitaram audiência com Dom Orani, o Cardeal Tempesta, e a ele levaram suas propostas, seus compromissos e dele receberam a mensagem salvífica do Salvador Jesus Cristo, sem quaisquer distinções ou privilégios, pois Sua Eminência cumpre seu desiderato de Pastoral ao acolher os que o procuram, na Arquidiocese que primeiro recebeu um Cardeal neste Brasil, abraçado pelo Cristo Redentor que, do alto do Corcovado, abençoa toda a nossa Pátria!
Nossas sinceras congratulações a Dom Orani, Cardeal do Brasil. Deus o proteja e abençoe em sua paternal missão para com todos nós, brasileiros!

%d blogueiros gostam disto: