Temas Cotidianos

O SANTO PADROEIRO E A DATA MAGNA DO CEARÁ

A primeira capital do Ceará, Aquiraz, foi criada como Vila por ordem régia de 13/02/1699 e instalada em 27/06/1713. Tornou-se sede administrativa da capitania do Ceará (Siará) Grande até 1726, quando a capital foi transferida para Fortaleza. O Padroeiro da primeira Paróquia de Aquiraz, criada em 1700, é São José. São José de Ribamar, ou São José de Botas que, hagiograficamente, nos lembra o registro do Texto Sagrado da Fuga para o Egito, desde Belém, quando José levava a Virgem Maria e o Menino Jesus, a pedido do anjo, naquele século I. Fortaleza tem por padroeira Nossa Senhora da Assunção, mas, São José não poderia ficar esquecido, por isso se tornou padroeiro do Estado do Ceará e, consequentemente, da Arquidiocese de Fortaleza.
Observamos que na ocasião da criação da Paróquia de Aquiraz, o dia 19 de março já era dedicado a São José, visto que em 1621, o Papa Gregório XV decretara a celebração ao Santo Esposo de Maria Santíssima e Pai terreno de Jesus, para pleno período quaresmal, 19 de março. Os Evangelhos o aclamam o “justo”, sua profissão é carpinteiro e ele descendia do rei Davi, portanto, nascido em Belém, onde foi se recensear por ocasião do nascimento de Jesus, mas, residia no pequeno povoado de Nazaré. É o protetor da Igreja Católica, padroeiro dos trabalhadores e das famílias.
Oficialmente não há ligação do nosso Padroeiro com as chuvas, contudo, cientificamente, a data da festa do Santo está ligada ao equinócio que significa “noites iguais”, quando dia e noite duram o mesmo tempo e que, em março, anuncia a quadra chuvosa. Daí o agricultor rogar ao Padroeiro para que abençoe sua lavoura com copiosas chuvas. A data sempre é feriada em todo o Estado por Decreto do Governo do Ceará.
Em Sobral temos a Paróquia de São José, no bairro Sumaré que celebra seu Padroeiro, com missas e novenário!
No próximo dia 25 de março, solenidade da Anunciação do Senhor Jesus, comemora-se 135 anos de um dos atos mais aplaudidos e que proclama o pioneirismo cearense. Nessa data, no ano de 1884, quatro anos antes da abolição dos escravos pela Lei Áurea, a então Província do Ceará aboliu, definitivamente, a escravatura. O ato foi aplaudido e aclamado, precedido de heroica luta do povo cearense contra a escravatura e nunca é demais lembrar dos grandes abolicionistas, Antonio Bezerra (hoje nome de bairro na Capital Cearense), Dragão do Mar (o Chico da Matilde), Dona Maria Thomásia (sobralense), Barão de Sobral (que, pela Chancelaria do Império Brasileiro, assina a Lei Áurea, proclamada em 1888), entre tantos outros. Em se tratando de Brasil, aproveito para desagravar a figura da Redentora, a Princesa Isabel, regente do Império ao proclamar a abolição dos escravos.
O abolicionista José do Patrocínio cognominou o Ceará “Terra da Luz”, não por seu sol radiante, mas, pelo ato heroico de abolir os escravos, antecipando-se à Nação. O parágrafo único do art. 18 (que define os símbolos estaduais) da Constituição do Ceará, estabelece o dia 25 de março como Data Magna (data maior) do Estado do Ceará, sendo feriado civil, destinado às comemorações oficiais da libertação dos escravos.
Salve São José, Pai Amoroso de Jesus, esposo da Virgem Maria, o Justo!
Salve a Terra da Luz, o Ceará!

%d blogueiros gostam disto: