A história de Santo Antônio, o santo casamenteiro

13 de junho é o dia em que várias mulheres solteiras oram pedindo a Santo Antônio para trazer o amor de suas vidas. Mas você já se perguntou por que Santo Antônio é considerado o santo casamenteiro?

Vida de Santo Antonio

Santo Antonio ou Fernando Antônio de Bulhões (nome de nascença),  nasceu na cidade de Lisboa em Portugal, no dia 15 de agosto do ano de 1195. Veio de família nobre, filho único de Martinho de Bulhões (oficial do exercito). Sua formação inicial foi feita por religiosos da Catedral de Lisboa. Antônio era um estudioso, um rapaz tímido e que gostava de ficar sozinho.

Quando completou 19 anos decidiu entrar para o Mosteiro de São Vicente dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho, entrou para o Mosteiro contra a vontade de seu pai. Viveu no Mosteiro por 2 anos. Antônio tinha a sua disposição uma biblioteca, Antônio assim progredia cada vez mais nos seus estudos e também na oração. Com o tempo Antônio foi transferido para Coimbra, onde estava localizado um dos mais importantes centros de estudos de Portugal, permaneceu lá por 10 anos. Na cidade de Coimbra foi ordenado sacerdote. Logo as pessoas notaram o dom que Antônio possuía em ministrar a palavra de Deus, em pouco tempo o jovem padre agostiniano ficou muito conhecido. Em Coimbra o então agora “Padre Antônio” conhece os franciscanos, fica empolgado com a fé deste povo e como eles vivenciavam o Evangelho, pouco tempo depois, Padre Antônio torna-se Frei Antônio, agora passa a morar no mosteiro de São Francisco de Assis.

Frei Antonio fez um pedido para pregar o Santo Evangelho em Marrocos, pedido que foi aceito pela Ordem dos Franciscanos. Durante sua viagem Frei Antônio ficou doente e foi forçado a retornar para Portugal. Durante seu retorno para Portugal, o barco em que Frei Antônio estava, foi desviado para a Itália e acabou parando na cidade de Sicília, nesta parada na Itália estava acontecendo um encontro com frades franciscanos, encontro conhecido como; Capítulo das Esteiras. Durante o encontro, Frei Antônio conheceu pessoalmente São Francisco de Assis. Depois de ter conhecido São Francisco, Frei Antônio passou cerca de 15 meses como um eremita, vivendo isolado no monte Paolo. São Francisco começa a enxergar os dons que Deus deu a Frei Antônio, então chama-o para uma conversa particular. Frei Antônio é enviado para Roma para tratar de assuntos da Ordem dos Franciscanos com o Papa Gregório IX. O Papa fica encantado com a inteligência e capacidade de falar que Frei Antônio possui e o apelida de Arca do Testamento. Posteriormente São Francisco o nomeia como o primeiro leitor de Teologia da Ordem Franciscana. Frei Antônio era professor no Mosteiro e muitas vezes pregou para até 30 mil pessoas e durante essas pregações milagres aconteciam. Com a morte de São Francisco, Frei Antônio foi enviado a Roma para apresentar ao Papa a Regra da Ordem de São Francisco.

Falecimento

Antônio morreu na cidade Pádua, na Itália, no dia 13 de junho no ano de 1231, com apenas 36 anos de idade. Por isso ele é conhecido em alguns países também como Santo Antônio de Pádua. Pouco antes do seu falecimento, Santo Antônio disse: “Ó Virgem gloriosa que estais acima das estrelas”. E completou dizendo: “estou vendo o meu Senhor”, em seguida veio a falecer.

As crianças da cidade saíram correndo pelas ruas dando a notícia: o Santo morreu. Em Lisboa os sinos das igrejas repicaram sozinhos e somente depois de um tempo a população soube da morte do Santo.

Devoção a Santo Antonio

Após a sua morte, onze meses depois ele foi beatificado e canonizado. Na exumação de seu corpo, a sua língua estava intacta. Durante a exumação São Boaventura estava presente e disse que aquilo era a prova, um milagre de que sua pregação era inspirada por Deus. A língua do Santo está exposta na Basílica de Santo Antônio na cidade de Pádua.

A canonização do Santo foi realizada pelo Papa Gregório IX, na catedral de Espoleto, no dia 30 de maio do ano de 1232, foi o processo de Santificação mais rápido da história da Igreja.

Santo casamenteiro

Fonte (JOÃO PAULO CALDEIRA – Editora Moderna)

Assim é invocado pelas moças que desejam casar e assim é lembrado pelo nosso folclore. Não se sabe qual a origem da devoção. Talvez se ligue a algum milagre feito pelo santo em favor das mulheres, por exemplo, quando fez um recém-nascido falar para defender a mãe acusada injustamente de infidelidade pelo pai.

Mas há outro episódio com explicação mais direta. Certa senhora, no desespero da miséria a que fora reduzida, decidiu valer-se da filha, prostituindo-a, para sair do atoleiro. Mas a jovem, bonita e decidida, não aceitou de forma alguma. Como a mãe não parasse de insistir, ela resolveu recorrer à ajuda de Santo Antônio. Rezava ela com grande confiança e muitas lágrimas diante da sua imagem quando das mãos do Santo caiu um bilhete que foi parar nas mãos da moça. Estava endereçado a um comerciante da cidade e dizia: “Senhor N…, queira obsequiar esta jovem que lhe entrega este bilhete com tantas moedas de prata quanto o peso do mesmo papel. Deus o guarde! Assinado: Antônio”.

A jovem não duvidou e correu com o bilhete na mão à loja do comerciante. Este achou graça. Mas vendo a atitude modesta e digna da moça colocou o bilhete num dos pratos da balança e no outro deixou cair uma moedinha de prata. Mas qual! O bilhete pesava mais! Intrigado e sem entender o que se passava, o comerciante foi colocando mais uma moeda e outras mais, só conseguindo equilibrar os pratos da balança quando as moedas chegaram a somar 400 escudos. O episódio tornou-se logo conhecido e a moça começou a ser procurada por bons rapazes propondo-lhe casamento, o que não tardou a acontecer, e o casamento foi muito feliz. Daí por diante, as moças começaram a recorrer a Santo António sempre que se tratava de casamento.

Festas na Diocese

Santuário São Francisco (Sobral – CE)

1 a 13 de Junho

Trezenário de Santo Antônio

Santa Missa – 6h / 12h / 18h

Dias 9 e 13 – Leilões

Dia 13 – Sorteio da rifa

Paróquia Santo Antônio de Pádua (Cariré – CE)

3 a 13 de junho

Dia 3 – 05h:30min – Alvorada.

06h- Santa Missa e Café Comunitário.

12h – Santo Terço na Matriz.

17h – Carreata Missionária e Santa Missa

Dos dias 04 a 12 a Santa Missa é realizada sempre às 19 horas

DIA 04 – CELEBRANTE: Pe Emidio Moura – Uruoca

DIA 05 –  CELEBRANTE: Pe Luiz  César Silvino Evangelista – Martinópole.

DIA 06 – CELEBRANTE: Pe. João Batista Vasconcelos – Ipú.

DIA 07 – CELEBRANTE: Pe. Nery – Pároco.

DIA 08 – CELEBRANTE: Pe. João Sidarta – Varjota.

 DIA  09 – CELEBRANTE: Pe. Nery – Pároco.

DIA 10 – CELEBRANTE: Pe. Nery – Pároco.

DIA 11 – CELEBRANTE: Pe. Luís Alberto Chaves Freire.

Dia 12 – CELEBRANTE: Dom Vasconcelos – Bispo Diocesano.

      

DIA 13 – SOLENIDADE DE SANTO ANTONIO

09H – Santa Missa

10h – Batizados Comunitários.

17h – PROCISSÃO e Benção do Santíssimo.

Celebrante: Pe Jocélio – Sobral

Paróquia Nossa Senhora da Piedade (Coreaú-CE)

1 a 13 de junho

Tema “Com Santo Antônio sejamos leigos e leigas comprometidos com a construção do Reino de Deus”, e o lema “Orar e agir para promover a vida e a dignidade humana”

Celebrações sempre às 19h

%d blogueiros gostam disto: