Festa Regional da Colheita é momento de fé e ressignificação das lutas sociais

Evento traz como tema central “Agroecologia e Segurança Alimentar para o Bem Viver no Semiárido”

Aconteceu no período de 19 a 21 de julho de 2018 na sede do Assentamento Altinho situado no município de Morrinho a 8ª Edição da Festa das Sementes Crioulas que teve como o tema central “Agroecologia e Segurança Alimentar para o Bem Viver no Semiárido”. O evento foi coordenado pela Cáritas Diocesana de Sobral, a Rede de Intercâmbio de Sementes da Zona Norte e apoiado pelo Projeto Paulo Freire, Centro de Estudos do Trabalho e Assessoria ao Trabalhador (Cetra), Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Ceará (Fetraece) e Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais.

O público estimado foi de 220 agricultores e agricultoras familiares de 11 municípios da Região Norte e 79 casas de sementes comunitárias. Foi um momento de troca de experiências e saberes, tendo como cume a celebração da festa da colheita como forma de agradecimento a Deus pela excelente colheita e pelos dons e sabedorias partilhadas.

Durante o evento foram debatidos assuntos de grande relevância para vida das casas de sementes como a questão da Lei dos Agrotóxicos que impacta negativamente na qualidade de vida das pessoas e do ambiente. A festa da colheita representa também um momento de avaliar as ações e reprogramar o conjunto de atividades que devam ser desenvolvidas ao longo do ano de 2018.

Celebrar a festa da colheita é memorizar a vida dos cristãos, ou seja, a festa das primícias, momento solene de graça e partilha que revivemos por ocasião da noite da partilha dos alimentos e das inúmeras apresentações culturais e populares expressas pela comunidade de Altinho, onde agradecemos pela excelente acolhida e carinho para com todos participante. Por tudo isso é motivo de graça e louvor e viva as Sementes da Vida livre de agrotóxicos e livre de transgênicos.

%d blogueiros gostam disto: