Fumacê combate Aedes aegypti em 21 municípios

dwd

Como reforço às ações de combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e febre chikungunya, a Secretaria da Saúde do Estado concluiu 18 ciclos de pulverização de inseticida com carros fumacê em Fortaleza e outros 13 municípios e tem mais 21 ciclos em andamento em seis municípios, inclusive Fortaleza. Dois ciclos com UBV costal foram concluídos nos municípios de Caridade e Catarina. Para auxiliar a vistoria domiciliar feita pelos 19.485 agentes comunitários de saúde e agentes de combate às endemias, além dos soldados do Exército que acompanham a ação, foram distribuídos 1,8 mil rolos de tela, totalizando 90 mil metros, suficientes para o telamento de 45 mil caixas d’água de imóveis nas 22 regiões de Saúde. No total serão distribuídos cinco mil rolos de tela, ou 250 mil metros, suficientes para o telamento de 125 mil caixas d’água. De acordo com balanço do Ministério da Saúde, o trabalho focal de combate ao Aedes aegypti foi feito em 944.763 imóveis de todo o Estado, até o mês de março.

A melhor forma de combater o Aedes aegypti é não deixar o mosquito nascer. O chamado controle mecânico consiste na eliminação dos criadouros. Já a aplicação espacial a Ultra Baixo Volume (UBV), conhecido como fumacê, tem como função específica a eliminação das fêmeas adultas de Aedes aegypti e deve ser utilizada somente para bloqueio de transmissão e para controle de surtos ou epidemias. Essa ação integra o conjunto de atividades emergenciais adotadas nessas situações e seu uso deve ser concomitante com todas as demais ações de controle, principalmente a diminuição de fontes de mosquito. A eficiência do bloqueio de transmissão aumenta consideravelmente quando se realiza a remoção prévia dos focos larvários, com a intensificação das visitas domiciliares e mutirões de limpeza e com a colaboração da população, abrindo portas e janelas, de maneira a facilitar a entrada das gotículas no domicílio.

O inseticida ajudar a eliminar o mosquito quando utilizado de maneira adequada. Quando utilizado indiscriminadamente, o inseticida seleciona as populações de mosquitos resistentes, o que propicia novas gerações também resistentes, perdendo, assim, sua eficácia. A resistência é a habilidade que um inseto tem de sobreviver a uma dose de inseticida que é considerada letal para uma população suscetível. O inseticida não torna a população resistente: a resistência tem uma base genética, apenas selecionando na população aqueles indivíduos que já nasceram resistentes. Usado de forma indiscriminada, o controle químico elimina da população de mosquitos apenas os indivíduos suscetíveis, permitindo a perpetuação dos resistentes.

A passagem do fumacê não diminui a necessidade da eliminação dos potenciais focos do mosquito. Por isso, as famílias devem também fazer sua parte no combate ao Aedes aegypti. O inseticida não mata as larvas do Aedes aegypti, que estão em caixas d’água, potes, baldes, pneus, lajes. É preciso também manter os quintais sempre limpos, recolher, eliminar ou guardar longe da chuva todo objeto que possa acumular água, como pneus velhos, latas, recipientes plásticos, tampas de garrafas, copos descartáveis e até cascas de ovos. O lixo doméstico deve ser acondicionado em sacos plásticos e descartado adequadamente, em depósitos fechados. A eliminação de criadouros deve ser realizada pelo menos uma vez por semana. Assim, o ciclo de vida do mosquito será interrompido.

Fumacê concluído

 

Municípios do interior Bairros de Fortaleza
– Icó
– Umari
– Baixio
– Potengi
– Barroquinha
– Baturité
– Crato
– Milagres
– Sobral
– Forquilha
– Massapê
– Varjota
– Mucambo
– Jangurussu
– Prefeito José Walter
– Conjunto Palmeiras
– Planalto Airton Senna
– Mondubim

 

Fumacê em andamento

Municípios do interior Bairros de Fortaleza
– São Gonçalo do Amarante
– Apuiarés
– Quixadá
– Russas
– Tabuleiro do Norte
– Álvaro Weyne
– Floresta
– Carlito Pamplona
– Monte Castelo
– Vila Ellery
– Alagadiço
– São Gerardo
– Amadeu Furtado
– Rodolfo Teófilo
– Parque Araxá
– Presidente Kennedy
– Parquelândia
– Montese
– Bom Futuro
– Damas
– Jardim América

 

14.04.2016
Assessoria de Comunicação da Sesa
Selma Oliveira / Marcus Sá / Helga Rackel ( selma.oliveira@saude.ce.gov.br / (85) 3101.5221 / 3101.5220)
Twitter: @SaudeCeara

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: