NADIR FERREIRA GOMES MONT’ ALVERNE: PÓRTICO DA ALEGRIA

Da esquerda  para a direita a  matriarca Nadir Mont'Alverne e filhos Abigail, Vitória, Soraya, Vanessa, Ronaldo e Guarany Filho.

Da esquerda para a direita: a matriarca Nadir Mont’Alverne e filhos Abigail, Vitória, Soraya, Vanessa, Ronaldo e Guarany Filho.

“As cores de abril, os ares de anil, o mundo se abriu em flor ”.

Nadir, flor majestosa de abril, de aroma indizível que aflora, enflora e floresce o coração da primavera, traduzindo a manifestação da alegria, adornando o lar de Eurípedes Ferreira Gomes e Maria Abigail Alverne Ferreira Gomes. Nadir, ”quando nasceste, nasceram todas as flores e cantaram os rouxinóis”.

Assim nasceu a querida tia Nadir, de índole e têmpera pacífica, serena e amável. Nadir, dádiva divina, presente do céu, que ainda tem olhos para contemplar tanta beleza da Natureza Divina, como o esplendor da alvorada e o resplendor da lua dócil e meiga, cercada de estrelas que cintilam e douram o manto azul da noite, na Infinitude do Universo.

Nadir, que ouve o trinado dos pássaros que esvoaçam alegres em bandos a voejar.

Nadir, ainda dotada de mãos que se elevam ao nosso Pai Superior em preces e orações. Mãos que também abençoam, que se benzem, que acenam para a plenitude de seu viver, gratas ao dom da vida que perduram os seus felizes e longevos anos.

Nadir encantou-se com os esfuziantes raios do sol da sua existência, ao conhecer Antônio Guarany Mont’ Alverne. Guarany despontou com o alvorecer da aurora, como um grande guerreiro ao se embevecer com o enlevo de Nadir. A força do sentimento de amor fluiu em confluência com o ritmo do pulsar da vida deste casal, ao contrair núpcias. Do consórcio matrimonial de Guarany e Nadir, do jardim florido de seus enternecimentos brandos e suaves semearam sementes benfazejas de benemerência: José Ronaldo, Sílvio Régis, Abigail, Vitória Régia, Vanessa, Soraya, Sheila e Guarany Filho.

Guarany, bem nascido e bem criado, advindo do fecundo ventre de Maria Marphisa Araújo Mont’ Alverne, com todo o desvelo do amor imensurável, consagrou a prática fiel, com devoção ao exercício do estudo e conhecimento da Ciência Médica, com a sabedoria de um mestre e de um discípulo de Hipócrates e Esculápio. Dotado de sentimento nobre e de olhar manso e cativante, sanava a doença dos enfermos, devolvendo-lhes a vida e a saúde, com suas mãos tomadas pelo zelo da sabedoria médica, a cada dia de trabalho profícuo, ”como o rio do tempo se abre em um delta de amanhãs”. Deixou gravado no coração e na memória de todos nós, o exemplo da servidão humana, pautada na ética de uma conduta irrepreensível como operário da medicina, esposo, pai, filho, avô, tio e amigo. Saudades imorredouras do querido tio Guarany.

 

Sobral – CE, 02 de abril de 2016.

Ceres Mont’ Alverne Lopes Angelim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: