Papa Francisco manifesta pesar pelo atentado em Campinas

Vatican News Va
O Papa Francisco manifestou seu pesar pela tragédia ocorrida na Catedral de Campinas, na terça-feira (11/12), depois que um atirador abriu fogo após a missa. Até o momento, cinco pessoas morreram.
“Profundamente consternado pelo dramático atentado realizado durante a celebração da Santa Missa na Catedral da Arquidiocese de Campinas, o Papa Francisco confia à misericórdia de Deus as vítimas e assegura a sua solidariedade e conforto espiritual às famílias que perderam seus entes queridos e toda a comunidade arquidiocesana, com votos de pronta recuperação dos feridos”, lê-se no telegrama assinado pelo Secretário de Estado, Cardeal Pietro Parolin.
No texto, “o Santo Padre convida a todos, diante deste momento de dor, a encontrar conforto e forças em Jesus Ressuscitado, pedindo a Deus para que a esperança não esmoreça nesta hora de prova e faça prevalecer o perdão e o amor sobre o ódio e a vingança”. O telegrama se conclui com a benção apostólica do Papa Francisco.
Polícia ainda investiga o caso
As cinco vítimas são: Heleno Severo Alves, Sidnei Vitor Monteiro, José Eudes Gonzaga, Cristofer Gonçalves dos Santos, Elpídio Alves Coutinho. Segundo a polícia, o atirador Euler Fernando Grandolpho se suicidou. Outras três pessoas ficaram feridas, mas já receberam alta. A Polícia ainda investiga qual teria sido a motivação do atirador para abrir fogo contra os fiéis.
A Presidência da CNBB enviou, na quarta-feira, 11 de dezembro, uma mensagem de solidariedade ao Mons. José Eduardo Meschiatt, administrador da arquidiocese de Campinas (SP). O atentado deixou pelo menos cinco pessoas mortas, inclusive o atirador, e outras quatro feridas.

Mensagem da CNBB ao Administrador da Arquidiocese de Campinas

Ao Revmo. Sr.
Mons. José Eduardo Meschiatt
Administrador Diocesano
Caro irmão,
A Presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB oferece a sua solidariedade e oração à Arquidiocese de Campinas, especialmente às famílias atingidas pelo trágico acontecimento da morte violenta de seus entes queridos, durante a celebração da Eucaristia na Catedral Metropolitana. Solidariedade e preces extensivas aos irmãos que foram internadas devido aos ferimentos.
A violência não faz parte da vida de quem segue Jesus Cristo. Vemos, mais uma vez, como as armas podem ser usadas para tirar a vida de outras pessoas e de quem as usa. A Campanha da Fraternidade deste ano foi uma longa e profunda meditação a partir da necessidade de superar a violência. Temos diante de nós mais uma demonstração de que há necessidade de buscarmos incessantemente a superação da violência para vivermos na fraternidade, com direito e a justiça.
O senhor, por favor, transmita a proximidade da Presidência da CNBB a todas as pessoas que estão sofrendo, inclusive aos familiares do irmão que provocou essa dor. Deus, na sua misericórdia, o perdoe e conceda aos falecidos o descanso eterno. Continuamos unidos pela oração e pelo desejo de servir.

%d blogueiros gostam disto: