Pastorais de Juventude lançam subsídio da Semana do Estudante

Semana, que será realizada entre os dias 4 e 11 de agosto, encerrando no dia em que se comemora o dia do estudante, traz como tema “A nossa escola não é mercadoria”

As Pastorais de Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB (PJ, PJE, PJMP e PJR) lançaram na terça-feira, 24, o material de estudos e preparação para a Semana do Estudante 2018 (SdE). A Semana, que será realizada entre os dias 4 e 11 de agosto, encerrando no dia em que se comemora o dia do estudante, traz como tema “A nossa escola não é mercadoria”, e, como lema “Garantia de direitos e promoção da dignidade”. O tema deverá sustentar toda a discussão dos encontros. A iluminação bíblica que guia as reflexões vem do Livro de Lucas: “Todos os que ouviam a criança estavam maravilhados/as com a inteligência de suas respostas” (cf. lc 2, 47).

O Subsídio foi construído para dar maior flexibilidade e dinamicidade aos encontros, possibilitando uma profunda reflexão sobre o papel social da escola, para além do formativo. É possível constatar que os encontros são formados por textos bases, questões norteadoras, orações, sugestões de dinâmicas e filmes, tudo para garantir um encontro leve e que estimule o protagonismo juvenil.

Os eixos temáticos são Comercialização da Educação, Promoção da dignidade na luta por uma educação básica de qualidade, Educação no campo é direito, não esmola, além de Juventude e protagonismo estudantil.Cada Atividade Permanente (AP) tem uma proposta temática central que é desenvolvida a partir de dos quatro Eixos.

Para cada um destes eixos foram construídos textos-base de reflexão e estão propostos elementos diversos (filmes, músicas, dinâmicas, etc.) para dinamizar a execução dos modelos de atividade propostos e/ou outros trabalhos dentro dos Eixos. A ideia é oferecer opções, mas com liberdade para que cada grupo escolha qual/ais Eixo/s trabalhar e como fazê-lo, a partir da sua realidade específica.

Discussões

No Eixo 1 “Comercialização da Educação”, os estudantes são chamados a questionar acerca da educação privada na sua cidade e como evitar fechamentos de escolas. No Eixo 2 “ Promoção da dignidade na luta por uma educação básica de qualidade” as questões geradoras para discussão são “educar para quê?”, “Que Educação queremos?” e “Por que não temos acesso a uma educação pública de qualidade?”.

O Eixo 3 ressaltará a “Educação no campo é direito, não esmola” e haverá debate sobre as condições de educação no campo, quais são os investimentos e se há uma democracia participativa onde há diálogo entre os atores sociais e políticas públicas. A temática “Juventude e protagonismo estudantil” discutirá se a escola tem grêmio e como potencializá-lo.

%d blogueiros gostam disto: