Sobral canta a Esperança

Em meio ao turbilhão de dificuldades que atingem a existência humana, há uma virtude que deve estar enraizada no coração de cada homem: a esperança, uma das virtudes teologais que clareia muitos enigmas que surgem diante dos insucessos, da dor e da morte.
O evento “Sobral canta a esperança”, realizado pela Fazenda da Esperança nos mostrou que vale a pena empreender grandes coisas pelo Reino de Deus. Com a presença do Padre Reginaldo Manzotti, com a força de centenas de voluntários e a participação de milhares de pessoas, o evento ocorreu em prol da construção da Fazenda Santa Clara, na Serra da Meruoca. É o carisma da esperança ganhando forças em nossa diocese, agora com a oportunidade da reabilitação de mulheres nessa nova fazenda. É a força de Deus fazendo maravilhas na vida de homens e mulheres, que são resgatados dos vícios e da dependência química.
São testemunhos assim que injetam no mundo uma carga a mais de esperança, diante de tanta violência, ódio e insegurança. Vez por outra contemplamos a prova concreta de que a fragilidade e a pequenez humanas podem ser fortalecidas e engrandecidas pela força transformadora do Evangelho. Apesar de tudo, o Reino de Deus vai sendo construído!
Desse modo é preciso que cada cristão se alimente da esperança, essa animosa virtude que nos deixa munidos das forças necessárias para superar as contrariedades. Nem mesmo a morte, tão temida e incompreendida por muitos, deve ser motivo de desesperança para um cristão.
Segundo o Catecismo da Igreja Católica, tal virtude “protege contra o desânimo, dá alento em todo esmorecimento e dilata o coração na expectativa da bem-aventurança eterna” (nº 1818). O exemplo da Beata Chiara Luce é uma prova do consolo que a esperança oferece nos momentos difíceis da vida. Ela era uma jovem italiana sem nada de extraordinário, que aos 17 anos, foi acometida por um câncer nos ossos e, mesmo nos piores sofrimentos da doença, ela permanecia serena, forte e sorridente, animada pela esperança da Eternidade. Sofreu por quase dois anos com a paciência de quem sabe que a espera por Deus não é em vão, e faleceu prestes a completar 19 anos.
O cardeal brasileiro Dom Paulo Evaristo Arns, falecido em dezembro de 2016, tinha como lema episcopal: “Spes et spes” (De esperança em esperança). Essa frase tão cheia de significados deve dar sentido e caracterizar a caminhada cristã.
Grandes nomes da história, como Mahatma Gandhi, Nelson Mandela, Martin Luther King, Teresa de Calcutá, foram verdadeiros apóstolos da esperança, sabiam prenunciar realidades inconcebíveis e contemplá-las em horizontes nebulosos.
Portanto, não se pode desanimar diante de vidas que são destruídas, do ódio que é disseminado e de realidades políticas e sociais tão duras. Devemos sim ser mensageiros de boas notícias, acendendo luzeiros de esperança em meio às trevas do ceticismo e da desilusão. Sejamos, pois, transformados e transformadores, a partir do carisma da esperança.

%d blogueiros gostam disto: