Poucas e Boas

Procrastinação – proativismo – burocracia – certeza da impunidade
Não resta dúvida de que essas duas palavras pareçam estranhas para muita gente, embora presentes no dia a dia de milhões de pessoas. Se analisadas quando os envolvidos são pessoas individuais ou entidades públicos os efeitos de sua prática são vitais.
A primeira – PROCRASTINAÇÃO – significa, grosso modo, adiamento demora na tomada de atitudes indispensáveis para o bom êxito de alguma empreitada. Já PROATIVISMO significa agir por antecipação, de forma preventivamente.
A presença da primeira e a ausência parcial da segunda são o estopim para acontecimentos desagradáveis e até catástrofes. Tomemos, por exemplo, o que ocorreu em Mariana (MG), em 05 de novembro de 2015, e o de Brumadinho, também em Minas Gerais, na semana passada. Em ambos, detecta-se claramente o excesso de adiamento de ações corretivas de problemas constatados e veementemente denunciados. Por outro lado, é notória a falta de providências antecipadas, que poderiam ter evitado os dois desastres.
Mas evitar a procrastinação e passar a agir com proativismo não evitará que novas tragédias voltem a acontecer. Só que o efeito desejado dificilmente será obtido. O sucesso na operação só ocorrerá se também for eliminada a conhecida BUROCRAIA BRASILEIRA e a CERTEZA DA IMPUNIDADE.
Só pra se ter uma ideia da dimensão dos malefícios disso, há dois anos estava proibido, em Brumadinho, a construção de barragens nos moldes das que lá arrombou. Mas a liminar só veio chegar agora. Já no caso de Mariana, depois de três anos da tragédia ainda não tem culpados. E aqui só focalizei dois casos.
Infelizmente, tragédias como essas têm sido o único meio que leva a um levante quanto às possibilidades de repetição de casos em outros locais. Comprova-se isso com o grande destaque que a mídia tem dado a Brumadinho nesses dia. Pena que, como o caso de Mariana, em breve cairá também no esquecimento. Isso não pode continuar!
Agora, além de lamentar as perdas, principalmente de vidas, deve-se aproveitar esse meteórico levante de questionamentos. Mais ainda quando se vive em áreas que possuem equipamentos que, se mal cuidados, podem provocar tragédias. Nesse enfoque, repito aqui a manchete da quinta-feira (31), do jornal cearense O Povo: RELATÓRIO APONTA QUE CEARÁ TEM OITO AÇUDES EM SITUAÇÃO DE ALTO RISCO.
Denúncias como essas ganham as páginas de outros noticiosos, emissoras de rádios e as redes sociais. Pena que em alguns caos, por falta de embasamento técnico, mesmo sem querer o comunicador pode levar a população ao desespero, tornando-se a informação uma verdadeira torre de Babel.
Aí é que devem entrar as autoridades competentes no assunto. Compete, então, aos órgãos oficiais usarem os meios de comunicação para repassar informações corretas e seguras, a fim de desmistificar inverdades e tranquilizar a população.
E à população compete policiar-se mais para se livrar da procrastinação, abusar do proativismo, a fim de fiscalizar e denunciar mais e exigir o fim do excesso de burocracia. Quem sabe, assim, chega-se ao fim da certeza da impunidade. Mãos à obra!


PUBLICADA A AUTÊNTICA BIOGRAFIA DE BELCHIOR
Além de ter deixado uma grande quantidade de belíssimas composições, depois de sua morte em 2017 o cantor e compositor Belchior também acendeu a curiosidade da mídia e dos milhões de fãs. Isso tem gerado a realização de debates sobre sua vida e a publicação de diversas estudos, trabalhos jornalísticos e livros.
Assim sendo, já está disponível ao público o livro “Belchior – Abraços e Canções – Entrevista Inédita”, escrito por Ângela Belchior e Estêvão Zizzi, irmã e amigo do biografado, respectivamente. Com isso, os autores presenteiam os amantes da música de qualidade com uma entrevista incomum sobre a vida e obra de Antônio Carlos Belchior.
Na obra pode-se apreciar e admirar a grandeza da vida desse eterno poeta. Do Toin Carlos, quando criança em Sobral; o primeiro contato com a literatura; a vontade de ingressar no Colégio Sobralense e suas brincadeiras no paraíso da Rua Santo Antônio com seus amigos.
O leitor saberá mais sobre os anos em que Belchior passou no Colégio Estadual do Ceará, a decisão que o levou a ser Frei e, depois, aluno de Medicina e Professor. Enfim, a vontade de ser cantor. Quem ler se deparará com a história de um cidadão culto, além de seu tempo!
Numa linguagem simples e verdadeira o texto retrata fielmente o grande vate da Princesa do Norte que encantou o Brasil e o mundo: um Belchior de livro aberto! Aquele que desce do palco, para contar coisas de sua intimidade sem dar fugas as perguntas.
Antônio Carlos Belchior nasceu no dia 26 de outubro de 1946 e faleceu em Santa Cruz do Sul (RS), em 30 de abril de 2017, vítima de um aneurisma da aorta, a principal artéria do corpo humano.
“Belchior – Abraços e Canções – Entrevista Inédita” pode ser adquirido no site da Editora Clube dos autores. Há, também, a opção de livro físico ou e-book.

Link da Editora: https://clubedeautores.com.br/livro/belchior#.XE-cChjJ00M%E2%80%AC

DOMINGO NA EDUCADORA DE SOBRAL-CE (www.radioeducadora950.com.br) Neste domingo (27), no Programa Artemísio da Costa na Educadora AM 950. Notícias, reportagens, curiosidades, música de boa qualidade. Participe 3611-1550 // 3611-2496 // WhatsApp (88) 99618-9555 // Facebook: Artemísio da Costa.

LEIA, CRITIQUE, SUGIRA E DIVULGUE
www.artemisiodacostablogspot.com

%d blogueiros gostam disto: