Poucas e Boas

“Tanto riso, ó, tanta alegria!…”
Com o Carnaval já batendo na porta, o país começa a parar, enquanto dispara o coração de milhões de brasileiros. E o desejo de todos, foliões ou não, está expresso no título acima, verso inicial de “Mascara Negras”, composta em 1967, por Zé Keti e Pereira Matos.
Acontece que, nesse período, infelizmente há “mais de mil palhaços…” nas estradas e ruas, agindo de forma imprudente, irresponsável e até criminosa. Desse modo, sem respeitar nem mesmo a própria vida, o riso e a alegria de muitos cessam precocemente e dão lugar ao choro e à tristeza num hospital, num presídio, quando não num cemitério.
Mesmo perdendo – por incrível que pareça – apenas para as festas de Natal e Ano Novo, o período momino continua registrando prejuízos e perdas irreparáveis. Vale ressaltar que vem ocorrendo redução significativa, como a de 2018 no Ceará, que foi de 25% no número de acidentes graves.
Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Operação Carnaval de 2018 (9 a 14 fevereiro) contabilizou 42 acidentes, sendo 9 graves, com 42 feridos, duas mortes, além de 3.503 autos de infração (603 por ultrapassagens proibidas, 73 pelo não uso do cinto de segurança, 51 pelo não uso do capacete, 19 pelo não uso da cadeirinha e 39 por embriaguez ao volante). No total, foram fiscalizados 7.992 veículos e 8.270 pessoas, 46 CNHs e 186 CRLVs foram recolhidos e os 2.627 testes de etilômetro realizados autuaram 39 pessoas.

É importante reforçar que esta fiscalização ocorreu apenas nas rodovias federais que cortam o Ceará. Imagine, agora, esses números somados aos de acidentes ocorridos nas estradas estaduais e municipais e às mortes decorrentes de outras formas de violência (assassinatos, suicídios, desajustes familiares, etc.)! Vale, então, bradar: É alarmante! É assustador! E algo de urgente tem de ser feito. Em tempo: E se fossem mensurados os prejuízos às indústrias e aos comércios, que têm de parar nesses dias?

Como forma de suscitar uma profunda reflexão, proponho a macabra pergunta sobre a qual cada um deve refletir consigo mesmo (a): “ESTAREI EU NA PRÓXIMA LISTA NEGRA?”. E agora, para todos: Poderemos fazer alguma coisa para fugir dela? Enfim, estamos no mesmo barco. O que depende única e exclusivamente dos outros, entreguemos nas mãos de Deus e das autoridades. Agora, em hipótese alguma podemos negligenciar quanto ao que depende de cada um de nós.

Comecemos, então, tentando pôr em prática os “Dez Mandamentos do Motorista”, publicados em 2007 no documento “Orientações para a Pastoral da Estrada” do Conselho Pontifício da Pastoral para os Migrantes e Itinerantes. Seu objetivo é levar às Igrejas, escolas, empresas e associações de bairro a ideia de promover a educação, a solidariedade e o respeito de todos nas ruas e estradas do Brasil. A divulgação nacional esteve a cargo da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro, mobilização suprapartidária do Congresso Nacional, Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Ministério das Cidades, Departamento Nacional de Trânsito e a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Leia, reflita e aja.

Os Dez Mandamentos do Trânsito Seguro

1º) NÃO MATAR – O carro é um instrumento a serviço da vida, da convivência e do progresso. Vamos proteger a vida e respeitar as leis do trânsito.

2º) A ESTRADA SEJA PARA VOCÊ UM INSTRUMENTO DE COMUNHÃO ENTRE AS PESSOAS E NÃO UM LOCAL COM RISCO DE VIDA – As estradas são construídas para aproximar as pessoas e favorecer a promoção humana. Vamos defender a vida com amor e colaboração, também no trânsito.

3º) CORTESIA, SINCERIDADE E PRUDÊNCIA AJUDARÃO VOCÊ A SUPERAR OS IMPREVISTOS – A sensibilidade nas relações humanas é suporte para as grandes e pequenas soluções da vida. No trânsito precisamos manter este clima de respeito e amor ao outro.

4º) SEJA CARIDOSO E AJUDE O PRÓXIMO NAS SUAS NECESSIDADES, ESPECIALMENTE AS VÍTIMAS DE ACIDENTES – O amor e a justiça são princípios indispensáveis para manter e cultivar a dignidade humana. Por isso, “não nos cansemos de fazer o bem” (Gl. 6,9).

5º) QUE O CARRO NÃO SEJA PARA VOCÊ EXPRESSÃO DE PODER E DOMÍNIO NEM OCASIÃO DE PECADO. – O bom uso do carro depende das boas intenções do motorista. O que se passa no coração se expressa nas relações.

6º) CONVENÇA, COM CARIDADE, OS JOVENS E OS QUE JÁ NÃO O SÃO PARA QUE NÃO DIRIJAM QUANDO NÃO ESTIVEREM EM CONDIÇÕES DE FAZÊ-LO – O bom senso é princípio indispensável no discernimento sobre as condições de dirigir. É preciso obedecer às leis de trânsito e aceitar os próprios limites.

7º) AJUDE AS FAMÍLIAS DAS VÍTIMAS DE ACIDENTES – A verdadeira solidariedade se confirma nas horas difíceis da vida. O que você gostaria que lhes fizessem procure fazer ao outro.

8º) REÚNA A VÍTIMA COM O MOTORISTA AGRESSOR NUM MOMENTO OPORTUNO PARA QUE POSSAM VIVER A EXPERIÊNCIA LIBERTADORA DO PERDÃO – Fogo não se apaga com fogo! Violência não se resolve com violência! Sô o perdão liberta e promove a paz e a justiça.

9) NA ESTRADA PROTEJA O MAIS VULNERÁVEL – O cuidado pela vida, sobretudo a dos mais fracos, é a maior expressão de grandeza de um coração que sabe amar.

10º) SINTA-SE RESPONSÁVEL PELO OUTRO – Ninguém é mais do que ninguém, mas todos somos menos sem o outro. Somos mutuamente responsáveis pela vida e pela paz nas estradas. Seja solidário!

DOMINGO NA EDUCADORA DE SOBRAL-CE (www.radioeducadora950.com.br)
Neste domingo (27), no Programa Artemísio da Costa na Educadora AM 950. Notícias, reportagens, curiosidades, música de boa qualidade. Entrevista (gravada e concedida ao G1) com Adriane Bramante, vice-presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP) e advogada especialista em Previdência Social. Participe: 3611-1550 3611-2496 // WhatsApp (88) 99618-9555 // Facebook: Artemísio da Costa.

LEIA, CRITIQUE, SUGIRA E DIVULGUE
www.artemisiodacostablogspot.com

%d blogueiros gostam disto: