Padre Dourado na Igreja de Lourdes – Fortaleza

Aos quase 70 anos, muitos procuram descansar, aproveitar uns 30 anos a mais que Deus nos oferece. O personagem que comentamos hoje tem sua história registrada em livros, na memória de muitos e nas obras que deixou. Com mais 69 anos, após se aposentar da docência na Universidade Federal do Ceará, no curso de Psicologia, deu início à obra mais importante de sua vida. Ele diz que a “Providência Divina se manifestou, através de um grupo de pessoas, que se empenharam na construção de uma capela nas dunas da Praia do Futuro. Da semente plantada surgiram: esse belo e suntuoso Templo Sagrado e, sobretudo, a Comunidade viva da Paróquia de Nossa Senhora de Lourdes, na Colina do atual Bairro de Lourdes”. Ali ele deu início à sua “Missão Divina” e edificou com seu esforço, patrimônio pessoal, ajuda de paroquianos, amigos e familiares, a Igreja de Nossa Senhora de Lourdes, no bairro por ele fundado, pois, foi a partir da Igreja que inúmeras pessoas se interessarem a residir na região quase desabitada naquele 1998. Recorrendo aos escritos do Padre Dourado, ele diz: “Um dia, convalescendo de uma cirurgia, caminhando pela Avenida Santos Dumont, na direção do Centro para a Praia do Futuro, contemplando a paisagem das Dunas, tive uma imagem muito forte de uma igreja erguida naquela Colina”. Com mais de 17 anos de criação da Paróquia e passados quase 4 anos do falecimento de seu fundador, ouvida a família, amigos dele e a presidência da Academia Cearense de Cultura, sugeri ao sucessor do Padre Dourado e nosso confrade Mons. João Jorge, que fossem os restos mortais do fundador da Paróquia trasladados para o templo que ele construiu.

Em sede de justificativa, sabemos que a Academia é o espaço de preservação da memória, muito especialmente de nossos Acadêmicos e Patronos. Patrono que nos termos do § 1º do artigo 2º do Estatuto da ACECULT, é um cearense ou que no Ceará tenha se radicado e se destacado como escritor, artista ou intelectual, já falecido, e não poderá ser alterado em nenhuma hipótese. A cadeira de nº 19 é patroneada pelo Padre Joaquim Colaço Dourado.

Neste sentido, com a proximidade do 4º ano de falecimento do patrono da cadeira 19, Padre Joaquim Dourado (21/07/1930 – 23/03/2014), considerando que já pode ser feita a exumação de seus restos mortais; considerando, ainda, seu papel insigne na criação da Paróquia de Nossa Senhora de Lourdes; com a anuência da família Colaço Dourado, representada pelo ocupante da Cadeira 19, Prof. Dr. Antonio Colaço Martins, propusemos ao douto Mons. João Jorge Corrêa Filho que, uma vez exumados, os restos mortais do Padre Dourado sejam inumados na Matriz de Nossa Senhora de Lourdes, em sinal de reconhecimento aos seus feitos e em forma de perenizar mais ainda sua memória. O dia mais adequado para a inumação final dos restos mortais do Pe. Joaquim Colaço Dourado, na Igreja Matriz da Paróquia Nossa Senhora de Lourdes será 23/03/2018, data de sua Páscoa. O Monsenhor acolheu prontamente e no último domingo, dia 26, comunicou à comunidade paroquial a pretensão. A resposta foi um forte aplauso. O Padre Dourado que já está em cada pedra, cada tijolo, cada vidro, cada madeira e ferro daquela Igreja, em breve terá o repouso de seus restos mortais naquele templo de Deus!

%d blogueiros gostam disto: