“A quem iremos Senhor? Só Tu tens palavra de vida eterna” (Jo 6, 68)

Mês de setembro, tempo dedicado à Palavra de Deus e também oportunidade de festejar o desejo de uma pátria independente, onde juntos podemos gritar por um mundo mais justo e fraterno. Sabemos que o relacionamento fraterno constrói uma sociedade mais j usta e saudáv el para todos. É a Palavra de Deus que educa as pessoas para o diálogo, para a relação fraterna e para uma Pátria verdadeiramente de paz. Não basta celebrar a Semana da Pátria e o mês dedicado à Bíblia se não há comprometi mento com a felicidade e a vida de todo o povo. O Brasil tem exp erimentado diversos ti pos de avanços. Em muitos deles não conseguimos senti r verdadeiros sinais de vida digna. O “Grito dos Excluídos” do Sete de Setembro ainda acontece de forma abafada, porque muita gente conti – nua excluída, sem as condi- ções reais de cidadania e de valores nos campos sociais, políti cos e econômicos. As expressões Palavra do Senhor! Palavra da Salvação! Palavra de Vida Eterna! Ressoam continuamente em nossos ouvidos.

No entanto, estamos mais acostumados com pal avras que nos chegam pelos muitos meios de comunicação de nosso tempo. Ficamos até acostumados com as notí cias da últi ma alta do dólar, com as chacinas do dia a dia, com a crise políti ca e econômica, com as muitas “operações” efetuadas pelos órgãos de seguran- ça. Nada nos assusta nem causa reaçã o ou escândalo, estamos quase vacinados diante das imagens e sons que entram em nossas casas e corações.

As pessoas são capazes de permanecer impávidas diante de noti ci- ários sanguinários e sanguinolentos, às vezes conti nuando suas refeições ou tratando de amenidades. Mas, a Bíblia provoca ati – tudes de luta, de força em prol da justi ça e de denúncia dos responsáveis pela práti – ca das injusti ças. Ela é como senti nela que aponta para direções justas. Seu objeti – vo é salvar a vida do povo. É a voz de Deus que vem importunar os mecanismos que favorecem d eterminados grupos privilegiados. Iniciando o mês dedicado à Bíblia e celebrando, no dia 07 de Setembro, a Independência do Brasil, almejamos uma Pátria de amor, porque onde há amor, não pode existi r a práti ca do mal.

É a justiça do Reino de Deus, no cumprimento e na fi delidade ao projeto querido por Deus. É o Reino do perdão, da acolhida e da reintegração das pessoas na comunidade. Faz pensar num pastor de ovelhas que, quando perde uma delas, vai à sua procura até encontrá-la. Afinal, nunca teremos uma Pátria de irmãos se não contarmos com os ensinamentos da Bíblia. Ela é Palavra de Deus que anuncia princípios de fraternidade, de honesti dade, de transparência e de tudo que leva à vivência do bem.

O país precisa garanti r e culti var a justi ça para que seu povo tenha vida e liberdade plena. Corremos o perigo de uma religião fácil, sem compromisso com a criação e com os Mandamentos da Sagrada Escritura. Qualquer ofensa a alguém é romper com a vida de todos na comunidade. Por isso temos que lançar mão dos instrumentos que integram na práti ca da convivência e no valor da vida no país. E mesmo diante das provocações do tempo em que vivemos, é possível destacar algumas ati tudes ao mesmo tempo respeitosas e corajosas. Não nos escandalizemos com a diversidade existente em nosso mundo. Antes, na pessoa que é diferente ou pensa de modo diverso de nós, devemos identi fi car os canais de diálogo fecundo, cooperando, o que quer dizer trabalhando juntos, pelo bem comum, ou seja, não deixar de manifestar nossas próprias convicções, ainda que soem diferentes, como nos ambientes de trabalho, tantas vezes cheios de conceitos espúrios ou de meias verdades ti radas da últi ma mensagem recebida em redes sociais, consideradas a últi ma palavra.

Devemos respeitar o diferente, acolhendo as fragilidades, mas desejosos de que a Palavra de Deus modifi que o nosso modo de ver o mundo. Que todos nós cristãos, a exemplo de Jesus, possamos nos apresentar cheios de misericórdia pelos pequenos e pobres, doentes e pecadores, colocando-nos ao lado dos perseguidos e marginalizados e que, com amor de Pai, somos capazes de amar a todos sem disti nção. Neste mês da Bíblia e também mês da Pátria, peçamos ao Senhor: “Dai-nos olhos para ver as necessidades e os sofrimentos dos nossos irmãos e irmãs, inspirando-nos palavras e ações para confortar os desanimados e oprimidos fazei que, a exemplo de Cristo, e seguindo o seu mandamento, nos empenhemos lealmente no serviço a eles. E que a Igreja de Cristo seja testemunha viva da verdade e da liberdade, da justi ça e da paz para que toda a humanidade se abra à esperança de um mundo novo” (Missal Romano).

Por fim, devemos ter a coragem e a ousadia do Apóstolo Pedro que afi rma: “A quem iremos Senhor? Só Tu tens palavra de vida eterna” (Jo 6, 68) Feliz mês da Bíblia para todos! Pe. Fábio Soares Duarte Vice-Reitor (Teologia) e Formador (Filosofi a) do Seminário Imaculada Conceição – Fortaleza-CE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: