O fundador da UVA

A sociedade sobralense comemora as bodas de diamante de sacerdócio de um de seus mais ilustres conterrâneos, o historiador e fundador da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), cônego Francisco Sadoc de Araújo.
Aos 84 anos, cônego Sadoc foi homenageado no último dia 25 de fevereiro pelos 60 anos de ordenação sacerdotal. Amigos, ex-alunos e integrantes do clero participaram da homenagem, nos jardins de sua residência, e na missa celebrada na Igreja do Cristo Ressuscitado, de onde Sadoc foi vigário até se afastar de suas funções. A missa foi presidida pelo bispo diocesano, dom José Luiz Gomes de Vasconcelos.
Como historiador, não se restringiu ao contar mas a fazer história. Segundo suas palavras, Sobral tem duas grandes datas – uma se refere à autonomia política, quando se deu a emancipação do município; a outra diz respeito à autonomia intelectual, que foi a criação da UVA. O historiador zeloso registrou para as gerações a trajetória sobralense, desde seus primórdios, ainda na condição de vila (Fazenda Caiçara), até os dias de hoje, e entra para a história como fundador e primeiro reitor da UVA.
Segundo a professora e também historiadora Glória Giovana S. Mont’Alverne Girão, só a atuação de Sadoc em relação à UVA já seria suficiente para que se erigisse um monumento em seu louvor: “Mas esse é apenas um capítulo da história de vida desse grande homem de cultura polimorma, cuja visão de mundo, pela sua abrangência, torna-o presente em vários campos da ciência e do saber”.
Tive a honra de ser convidado por ele para sucedê-lo na reitoria da UVA, missão que aceitei com muita honra e que me deu prazer em exercer pelos resultados alcançados na universidade. Desde seu reconhecimento pelo MEC como pela expansão da universidade. De múltiplos talentos e habilidades, vejo-o com 4 perfis distintos: o sacerdote, o educador, o escritor e o historiador. Ao fim, é tudo um sacerdócio que ele exerceu com maestria.
Conheci-o primeiramente como professor, pois fui seu aluno quando ele ensinava no Seminário São José, em Sobral. Formado em Teologia e Filosofia, em Roma, especializou-se em Educação. Pós-graduação, em Bruxelas, sobre Educação da Juventude. Também tem curso de pós-graduação em Educação de Superdotados, pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro, e Psicologia Profunda, na Faculdade de Cristo Rei, de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul.
Durante 40 anos, foi professor de Grego, Latim, Filosofia e Psicologia. Foi reitor do Seminário de Sobral, diretor das rádios Educadora e Tupinambá, do jornal Correio da Semana, em Sobral. Foi ainda diretor do Instituto de Filosofia e Teologia da Arquidiocese de Olinda e Recife. No seu currículo, consta ainda a vice-presidência do Conselho de Educação do Ceará.
Entusiasta das ações do padre Ibiapina, ele fundou o Centro de Evangelização Pe. Ibiapina, que cuida do processo de beatificação do sacerdote sobralense.
Sobral reconhece e reverencia um de seus grandes filhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: