Duas datas

Trinta e um de março de 1918. Há 98 anos. Vinte e seis de março de 1966. Há cinquenta anos. A primeira data tem relação direta com a existência deste noticioso;a segunda assinala o surgimento de um líder religioso extraordinário, admirado por todos.

Correio da Semana: fundador. Coube ao Pe. José Tupinambá da Frota, jovem doutor pela Gregoriana de Roma, sobralense de boa cepa, a função de instalar a Diocese de Sobral. Fazendo o papel de fundador da Diocese, seu primeiro bispo dotou-a do necessário para a edificação de uma nova Roma, guardadas as proporções. Preocupado com o crescimento de sua Sobral, Dom José fez grandes obras, materiais, imateriais em diversas áreas. Se considerarmos sua visão arquitetônica, ele edificou uma cidade em ângulos variados. Construiu num extremo da cidade a Santa Casa de Misericórdia; num outro o Seminário São José. No intervalo tratou de muni-la de escolas, monumentos, obras sociais e religiosas. Com muita justiça aclamamos esta, a Sobral de Dom José.

Fundação de um jornal. No dia 31 de março de 1918, circulou a 1ª edição do “Correio daSemana”. Dom José é o fundador do jornal, órgão dos interesses da Diocese de Sobral, representando a boa-imprensa. Seu primeiro diretor foi o Pe. José de Lima Ferreira e redator o Pe. Leopoldo Fernandes. Muitos colaboradores, jornalistas, sacerdotes, religiosos, homens e mulheres de letras deram continuidade ao sonho do Bispo Dom José e o sentimento de sobralidade o faz chegar aos nossos dias como o jornal mais antigo do Ceará em circulação semanal. Deixamos patenteado nosso preito de gratidão e reconhecimento a Dom José e aos que o apoiaram neste sonho realizado. Destaco os queridos Mons. Tibúrcio Gonçalves de Paula (in memoriam) e Mons. Francisco Sadoc entre seus diretores. Os bispos que sucederam a Dom José, homenageamos na pessoa de outro José, Dom José Luiz Vasconcelos. À direção atual, aos colegas colaboradores, homenageamos no próprio Correio da Semana, retrato vivo da História da nossa heráldica Sobral, nobre Princesa, que ajudamos a registrar, com orgulho, em suas páginas.

Um sacerdote. Um sociólogo. Um humanista: Mons. João Batista Frota, o Padre João. Naquele 26 de março de 1966, a Capela do Colégio Pio Brasileiro, em Roma, foi cenário do compromisso de um jovem com sua Igreja pela ordenação sacerdotal. O santanense que eleito massapeense do século nos faz pensar que ali nascera, é figura respeitada no clero e entre os leigos, católicos e não-católicos, sobralenses, cearenses e brasileiros. Detentor do Prêmio Nacional de Direitos Humanos da Presidência da República Brasileiro, Pe. João é amado e admirado. Só não o ama quem não o conhece. Ele chega a cinquenta anos de sacerdócio e nós, seus fiéis, agradecemos a Deus neste março de duas grandes datas para Sobral: a fundação do jornal Correio da Semana e a ordenação do sacerdote Pe. João, o Mons. João Batista Frota. Deo Gratias!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: